Fique por Dentro

A influência das fake news no processo eleitoral

Bloquinhos de madeira com uma letra em cada um, formando a frase: fake news
Publicado em: 17/julho/18   |   Autor: Ylka Teixeira

Fake News ou notícias falsas, em tradução literal para o português, é o termo utilizado para definir informações não verdadeiras, alteradas ou fora de contexto, normalmente, espalhadas pelas redes sociais.

No Brasil, o compartilhamento de notícias duvidosas é um grande problema. Segundo dados da empresa de tecnologia Kaspersky Lab, nos primeiros vinte dias de 2018, 2,5 milhões de pessoas no país clicaram em links falsos. Além disso, segundo levantamento do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação da Universidade de São Paulo- Gpopai -, cerca de 12 milhões de brasileiros compartilharam notícias falsas sobre política no Brasil.

Uma das maiores preocupações de partidos, candidatos e do Tribunal Superior Eleitoral é a possibilidade da disseminação de correntes de fake news espalhadas pelas redes sociais durante o período eleitoral.

“iante de um uso abusivo, de uma notícia sabidamente inverídica, que causa dano irreparável em uma candidatura, vamos remover imediatamente a notícia.” Afirmou Luiz Fux, ministro do TSE no evento “Fórum Brasil Futuro”, realizado em São Paulo no último mês de junho.

O exemplo mais recente relacionado a fake news e a política são as últimas eleições presidenciais dos Estados Unidos. Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo Projeto de Propaganda Computacional da Universidade de Oxford, 46,5% de todo o conteúdo apresentado como noticioso sobre política durante o período eleitoral americano era composto por notícias falsas. Além disso, ficou comprovado que 126 milhões de americanos usuários do Facebook, foram expostos a conteúdos falsos sobre as eleições, produzidos na Rússia.

Infelizmente grande parte da população ao receber esse tipo de conteúdo não confere a veracidade das informações antes de compartilhá-las. Além disso, conteúdos enganosos e sensacionalistas mostram grande influência sobre a opinião de grande parte da população, inclusive sobre o voto.

Uma das notícias mais compartilhadas, por exemplo, é que o Papa Francisco apoiaria Donald Trump para a presidência dos EUA, assim, os fiéis conservadores que ainda não tinham definido seu voto, votaram no republicano por dar peso a palavra do líder religioso. O vaticano levou uma semana para descobrir e desmentir a notícia, que já havia surtido o efeito desejado.

Outro problema ligado as fake news e as eleições é o uso de robôs para espalhar conteúdos favoráveis ou desfavoráveis sobre determinado candidato ou partido. No Brasil, em 2014, 10% do engajamento no debate político nas redes sociais foi lançado por robôs, é o que aponta um relatório da Fundação Getúlio Vargas divulgado em novembro de 2017.


Alguns cuidados são importantes para identificar e evitar o compartilhamento de fake news.


Fonte: verificar a fonte da notícia é um dos primeiros passos, sites com credibilidade verificam a veracidade dos fatos antes de noticiá-los;

Sensacionalismo: também é importante verificar o tom da publicação, postagens com títulos sensacionalistas normalmente são utilizados para atrair cliques do leitor;

Ortografia: quem publica notícias mentirosas tem a intenção de viralizá-las e, normalmente, não se preocupa com possíveis erros na escrita;

Data: fique atento a data da publicação. Notícias verdadeiras publicadas fora de hora podem ganhar outro contexto.

Opções: procure a mesma informação em outros veículos, de preferência a veículos sérios e conceituados.


Se depois de verificar todas essas etapas você ainda não tem certeza da veracidade da informação que recebeu, não compartilhe. 



Newsletter

Receba novidades, informações de cursos, palestras e outros eventos da Fundação 1º de Maio.
Todos os campos são obrigatórios.
2018 Fundação 1º de Maio. Partido Solidariedade. © Todos os direitos reservados.